01. Design de Identidade de Marca


O guia criado por Alina Wheeler para design de Identidade de Marcas, é um clássico do design e relevante para um público moderno (é frequentemente revisado). Esta última versão inclui uma ampla cobertura da sinergia entre canais de mídia social, crowdsourcing, SEO, marca de experiência, dispositivos móveis, busca de caminhos e posicionamento.

O livro está dividido em três seções: fundamentos da marca, fundamentos do processo e estudos de caso. E fornece uma orientação profunda tanto para designers quanto para equipes inteiras de branding, guiando-o através de um processo universal de cinco etapas para o desenvolvimento e implementação da marca.

Você não tem que acreditar em nossa palavra. Basta ouvir a parceira da Pentagram e guru do design Paula Scher, que diz: “Alina Wheeler explica melhor do que ninguém o que é design de identidade e como ele funciona”. E com um prefácio da apresentadora de podcasts Design Matters Debbie Millman, você sabe que está em boas mãos.

02. Pensar com tipos: Guia para designers, escritores, editores e estudantes


Este não é um livro sobre tipos. É um livro sobre como usá-los. Este livro tenta nos ajudar a pensar com tipografia. A tipografia é uma ferramenta com a qual podemos dar corpo físico a linguagem, dar uma forma concreta ao conteúdo e propiciar o fluxo social de mensagens. Esta obra se dirige a leitores e escritores, designers e editores, professores e estudantes cujo trabalho esteja relacionado com a vida imprevisível da palavra escrita. Da rigidez imposta pelo trabalho com tipos móveis físicos, de metal ou madeira, à flexibilidade oferecida pelo meio digital, o texto evoluiu, passando de um corpo fechado e estável a um ecossistema fluido e aberto cujos atributos de granularidade, cor, densidade e contorno podem ser ajustados de maneira infinita. Pensar com tipos aborda as questões culturais e teóricas que alimentam o design tipográfico. O livro está dividido em três seções: letra, texto e diagrama. A partir da unidade básica que é a letra, aborda as particularidades da organização das palavras em corpos de texto coerentes e sistemas flexíveis. Os exemplos de projetos e os exercícios práticos incluídos explicam como a tipografia pode ser estruturada e porque é estruturada de tal maneira, com a intenção de revelar as bases funcionais e culturais embutidas nas convenções do design. Pensar com tipos é um recurso inestimável para todos aqueles que já tiveram de atravessar o território abismal da página em branco e foram assediados por perguntas como que fonte usar?, de que tamanho?, como compor, alinhar e espaçar todas essas letras, palavras e parágrafos? Um guia que nos ensina a navegar com imaginação dentro do conjunto de normas tipográficas e nos orienta sobre quando é conveniente quebrá-las

03. Como fazer um ótimo trabalho sem ser um babaca


“A cultura de grandes agências importa. Se o objetivo é fazer um grande trabalho, importa. Se quiser atrair os melhores funcionários, importa”.

Em muitas agências de publicidade e marketing, existe uma cultura perversa de que longas horas de trabalho sem descanso é o normal e apenas o preço que se paga para produzir excelentes resultados. Isso sem falar nos prazos insanos e nos colegas egomaníacos. O problema é que esta cultura tóxica é inimiga da criatividade e, com maior responsabilidade e transparência na indústria – e mais opções para jovens talentos –, essa maneira insustentável de fazer negócios é uma bomba-relógio. Tendo passado por agências na Europa e nos Estados Unidos, Paul Woods ensina de maneira bem-humorada que é possível ter alta performance, trabalho duro e ao mesmo tempo uma equipe feliz. Com fluxogramas, exercícios de autoanálise, dicas de produtividade, de planejamento de escopo e embasado pela metodologia ágil, Woods mostra que trabalhar madrugadas e finais de semana deve ser a exceção, e não a regra, e que ser legal é um ótimo negócio. Afinal, a sua função é fazer a sua equipe crescer, não o seu ego.
Este livro é para quem: 💩 Tem um chefe babaca e quer rir um pouco; 💩 É um babaca e caiu na real; 💩 Ainda não sabe que é um babaca e precisa que alguém lhe diga isso; 💩 Trabalha na indústria criativa (em especial em agências de comunicação, design e publicidade) e quer melhorar o ambiente e a cultura da empresa.

04. Como ser um designer gráfico sem vender sua alma


Aqui são abordados pontos que, não raro, são deixados de lado em livros sobre design gráfico: a busca por estágio e a forma de se comportar em entrevistas de emprego; as vantagens e os percalços no caminho do free lancer; as informações imprescindíveis na hora de estabelecer um estúdio – da escolha do local e do nome à busca por profissionais em harmonia com a filosofia da empresa; a prospecção de clientes e a difícil arte de se relacionar com eles. A obra ainda traz entrevistas com renomados profissionais.

05. Pensamentos sobre design


Um dos textos seminais sobre design gráfico, Pensamentos sobre design, de Paul Rand, escrito no auge de sua carreira, articulou num volume compacto (96 páginas, a maioria delas com reproduções da obra de Rand) a visão pioneira de que todo design deve integrar forma e função. Escrito em 1947 e revisado em 1970 pelo autor, o livro continua tão relevante quanto na ocasião em que foi publicado pela primeira vez. É um tratado clássico, indispensável na biblioteca de todos os designers. A presente edição segue o formato e o design do livro original.

Tatuaże, motocykle, graffiti, muzyka to tylko niektóre z moich pasji i moje główne tematy w BlendUp.

Napisz komentarz

9 − 9 =

pl_PLPL