Em meio ao cenário atual no Afeganistão com a tomada do Taliba e a crescente opressão contra as mulheres, uma artista tem se destacado pela sua coragem e sensibilidade: Shamsia Hassani.
Shamsia é uma artista que deu aula na faculdade de Kabul e é considerada a primeira grafiteira do país, e seus trabalhos retratam o papel e posição das mulheres em uma sociedade opressora, mas também o contraste dos momentos atuais.

Ela começou a se envolver com graffiti depois de um workshop liderado pelo artista CHU em Kabul, e desde então desenvolveu um estilo único e de fácil identificação: uma mulher sem boca e olhos fechados.

“Eu gostei muito e achei que tinha muitas utilidades. Acreditava que o graffiti pode ser uma ferramenta através da qual transformarei as paredes devastadas pela guerra de minha cidade em pinturas coloridas”, explicou Shamsia. “As cores esconderiam histórias de guerra nas paredes de minha cidade e as pessoas veriam coisas novas em vez de sinais de bala e rachaduras”.

“Eu também acreditava que poderia ser uma maneira para as pessoas experimentarem minha arte, pessoas que nunca foram a uma exposição e nunca viram minhas obras”. Elas poderiam ter a oportunidade de descobrir e desfrutar de algo novo”. Talvez alguns até tirassem fotos na frente dela e tivessem alguns minutos de entretenimento”.

O desafio de ser uma artista de rua é ainda maior em um país onde as mulheres não podem fazer praticamente nada, e Shamsia foi xingada e inclusive chamada de pecadora por vezes. Ela reconta que se sentia insegura muito rapidamente ao ir pintar na rua, as vezes ficando apenas 15 minutos e voltando para casa. Com isso ela decidiu simplificar sua arte ao invés de deixar trabalhos inacabados.

Confiram abaixo mais alguns dos incríveis trabalhos da primeira grafiteira afegã.

Tatueringar, motorcyklar, graffiti, musik är några av mina passion och mina huvudämnen på BlendUp.

Skriv en kommentar

9 − nio =

sv_SESV