O termo turismo cemiterial pode soar estranho para muitas pessoas. Afinal, assuntos e locais fúnebres não costumam ser pautas nas viagens de férias ou passeios pelas cidades. No entanto, a observação e visitação de cemitérios é muito mais comum do pode estar refletido no imaginário popular.

Alguns exemplos são a histórica necrópole parisiense Père-Lachaise, considerado um cemitérios mais pop do mundo. O local conta com cerca de dois milhões de visitas turísticas todos os anos. Alí é possível conhecer referências da arquitetura tumular, parte da história francesa e visitar túmulos famosos como o do cantor Jim Morrison ou do escritor Oscar Wilde. Na América Latina, o La Recoleta, situado no bairro homônimo de Buenos Aires, capital da Argentina, é um dos cemitérios turísticos mais visitados do país. Repleto de obras de arte suntuosas tem sepultados ilustres, como a icônica primeira-dama argentina Evita Perón.

E falando em Brasil, muitos de nossos cemitérios não deixam a desejar a essas famosas necrópoles em nenhum aspecto artístico. Além da alta qualidade arquitetônica e artística, muitos desses espaços nos mostram a história dessas cidades e estados bem diante dos nossos olhos.

Alguns desses cemitérios já contam com visitas guiadas para orientar visitantes, pesquisadores e historiadores interessados nesse legado tão rico em narrativas regionais, artes, informação, curiosidades e biografias. Confira!

São João Batista

Em serviço desde 1852, o Cemitério São João Batista também é conhecido como o “cemitério dos famosos”. Nos seus 192 mil metros quadrados reúne belíssimos túmulos e mausoléus artísticos voltados à cultura sacra católica.

Entre os seus 35 mil sepultados estão grandes personalidades da história nacional como Carmen Miranda, Cazuza, Nara Leão, Santos Dumont, Cecília Meireles, Tom Jobim, Cândido Portinari, Zuzu Angel e outras personalidades como cantores, escritores, atores e nobres, cientistas e políticos. Em 2015, foi o primeiro cemitério da América Latina a ganhar seu mapa virtual e receber visitas online através do Google Street View.

Endereço: Rua General Polidoro, S/N, Botafogo. Rio de Janeiro-RJ.
Telefone: (21) 3217-3182

Catedral de Petrópolis

A Catedral São Pedro de Alcântara começou a ser construída em 1884 para substituir a modesta igreja matriz de Petrópolis a pedido de D. Pedro II e sua filha, a Princesa Isabel.

Seu projeto neogótico foi concebido pelo arquiteto e engenheiro baiano Francisco Caminhoá, seguindo os moldes das principais catedrais europeias, e sua conclusão só foi finalizada em meados de 1969, após a Proclamação da República.

Atualmente ali estão os restos mortais do imperador D. Pedro II e Imperatriz Dona Tereza Cristina (trazidos de Lisboa para o Rio de Janeiro em 1921) e também da Princesa Isabel e seu esposo, o Conde D’eu (ali sepultados em 1971), formando o Mausoléu Imperial.

Endereço: Rua São Pedro de Alcântara 60, Petrópolis – RJ
Telefone: (24) 2242-4300

Memorial JK – Brasília

O Memorial JK não é um cemitério convencional do Distrito Federal (como no caso do Campo da Esperança, onde o fluxo de sepultamentos e homenagens com coroa de flores em Brasília é intenso).

Nesta obra prima concebida por Oscar Niemeyer estão os restos mortais do presidente Juscelino Kubitschek, idealizador da nova capital Brasileira – e uma das maiores obras de arquitetura e engenharia do século XX.

Inaugurado em 12 de setembro de 1981, o memorial abriga não só o túmulo oficial de JK, mas um museu completo dedicado a ele e à história de sua família através de um belíssimo acervo fotográfico, mobiliário e objetos pessoais de um homem à frente de seu tempo. Sua curadoria e interior têm uma apresentação muito marcante, obedecendo o protocolo artístico moderno e atemporal à altura do Plano Piloto.

Endereço: Praça do Cruzeiro, Eixo Monumental – Brasília -DF
telefone: (61) 3225-9451

Cemitério da Consolação

Considerado um verdadeiro museu a céu aberto, o Cemitério da Consolação é uma das necrópoles que se assemelham aos luxuosos cemitérios europeus. Em atividade desde 1858, foi tombado pelo Conselho de Defesa do Patrimônio HIstórico do Estado de São Paulo e abriga um projeto cultural de visitação mantido pelo Programa Memória e Vida.

Ali estão algumas das maiores obras da arte tumular mundial, com esculturas e projetos de arquitetura cemiterial encomendados pelos maiores artistas nacionais e internacionais da época. Essa era a demanda das ricas famílias paulistas dos séculos XIX e XX, retratando o grande desenvolvimento econômico do período.

Entre as figuras históricas e personalidades sepultadas no Cemitério da Consolação estão a Marquesa de Santos (benfeitora da construção da capela), Tarsila do Amaral, Mário de Andrade, Emílio Ribas, Cândido Fontoura, a primeira dama Ruth Cardoso entre tantos outros artistas, industriários, como os Matarazzo, políticos e nobres.

Cemitério Campo Santo – Salvador

Sendo o único cemitério de Salvador entre 1840 e 1856, o Cemitério Campo Santo é o mais antigo da cidade e conta parte da importante história região, pois está repleto de obras de arte tumulares que acompanham passagens históricas.

Sua construção marcou o fim dos enterros nas igrejas, movimento sanitarista comum à inauguração da maioria dos primeiros cemitérios públicos brasileiros,mas, inicialmente, revoltou os soteropolitanos que não queriam afastar os corpos de seus entes queridos do solo sagrado ao redor das catedrais. Seu portão principal e parte da catedral chegaram a ser depredados pela população no episódio que ficou conhecido como “Cemiterada”.

Administrado pela Santa Casa de Misericórdia da Bahia desde 1840, a necrópole conserva seus traços históricos aliado a uma nova ala moderna, concebida avançadas com tecnologias ambientais e design futurista.

Endereço: Largo do Campo Santo, s/n. Salvador – BA
Telefone: (71) 2203-9777

pt_BRPT_BR
en_USEN es_ESES it_ITIT de_DEDE pl_PLPL fr_FRFR hi_INHI nl_NLNL pt_BRPT_BR